São Paulo x Santos – Avaliação dos jogadores na derrota por 1 a 0 no Morumbi

You are currently viewing São Paulo x Santos – Avaliação dos jogadores na derrota por 1 a 0 no Morumbi
São Paulo x Santos: Brasileirão, Morumbi

Mais uma partida medíocre do time de Jair Ventura

São Paulo x Santos
São Paulo x Santos: Brasileirão, Morumbi

Confira a avaliação dos jogadores, na derrota do Santos por 1 a 0 para o São Paulo, pela sexta rodada do Brasileirão, no Morumbi.

Vanderlei: Assistiu a bola rondar a área durante toda a partida. O gol adversário era defensável.

Victor Ferraz: O time do Morumbi explorou bastante o seu setor por saber de sua limitação na marcação. Coincidentemente, o gol saiu por ali. Deixou o atacante a vontade para cruzar no lance decisivo.

David Braz: Até fazia boa partida, mas foi muito mal na bola que decidiu o jogo.

Lucas Veríssimo: Teve dificuldade na marcação, mais por conta da fragilidade do meio campo, do que por sua culpa.

Dodô: Foi o desafogo na saída de bola e boa opção no ataque pela esquerda. Quase empatou no fim do jogo.

Alison: Jogou sozinho no meio campo. De tanto correr pelos companheiros sofreu uma contusão no joelho e precisou ser substituído.

Renato: Ex-jogador em atividade.

Vitor Bueno: O cidadão tem a oportunidade de vestir a camisa mais gloriosa do futebol em um grande clássico e mesmo assim se arrasta em campo. É muita preguiça para uma pessoa só.

Camisa do Santos - Loja Familia Santista

Rodrygo: Sempre isolado, buscou a individualidade, mas faltou alguém para a tabela.

Gabriel: Se movimentou em busca das jogadas, mas também encontrou dificuldades, pois o meio campo não avançaou nas jogadas ofensivas.

Eduardo Sasha: Jogou centralizado, mas a bola pouco chegou ao atacante.

__

Jean Mota: É daqueles jogadores que não aguentamos mais ver com o Manto Sagrado. De positivo, arriscou um bom chute.

Yuri Alberto: Foi participativo e buscou os espaços. Em um deles quase marcou o seu.

Copete: O de sempre.

__

Jair Ventura: Quando chegou, em janeiro, o torcedor se encheu de esperança, pois acreditava que o Santos sairia daquela inhaca dos últimos anos. Seria uma cara nova, com ideias criativas e um futebol moderno. Passados quase cinco meses o time continua com a mediocridade dos tempos do Dorival. NADA DE NOVO!

Toquinho para lá e para cá, sem objetividade alguma. Uma lentidão irritante na saída de bola e jogadores que não se movimentam em campo.

O elenco não é mil maravilhas, mas tem atletas de valor. O que falta realmente é vontade, raça e ambição, coisas que o Jair Ventura parece não ter. Trouxe a pequenez do Botafogo para a Vila Belmiro.

Derrotas do Peixe sob o seu comando: Novorizontino, São Bento, Palmeiras (duas vezes), Real Garcilaso, Luverdense, Bragantino, Bahia, Nacional, Grêmio e São Paulo.

__