Kaio Jorge fala sobre sua trajetória no Santos FC

Kaio Jorge fala sobre sua trajetória no Santos FC
Kaio Jorge, Menino da Vila (Foto: Reprodução de Vídeo | Santos TV)

O Menino da Vila participou nesta sexta-feira (03), da série DNA, um conteúdo exclusivo da parceria entre Facebook e Santos FC.

O início no Santos FC

“Cheguei aqui para fazer teste com 9 anos e entrei no grupo com 10. Comecei a jogar o Paulista Cup e a partir daí a trajetória foi só evoluindo. O Santos FC é um time que todo garoto sonha em jogar. Quando estávamos escolhendo um clube pra jogar, eu e meu pai não pensamos duas vezes e viemos direto para cá.”

Importância dos pais em sua carreira

“Tive que amadurecer muito cedo e graças a Deus tenho um apoio muito grande do meu pai e da minha mãe, que sempre me blindaram de certas coisas. Às vezes eu pedia pra sair, mas não era o momento certo e eles diziam que no outro dia tinha treino e tal.”

Meu maior desejo é ganhar a Libertadores e ir para o Mundial e lá a gente dar o gás.

Kaio Jorge

Responsabilidade de jogar no Santos

“O amadurecimento foi muito importante para minha vida, desde a base. O Santos é gigante e assim que você sobe tem que estar preparado, pois a pressão é muito grande.”

Seleção Brasileira

“Sempre fiz grandes jogos na base, com muitos gols, então a torcida sempre teve confiança em mim. Quando cheguei no Sub-15, depois do Sul-americano, com o vice-campeonato, cheguei com mais bagagem, aí começaram a me conhecer um pouco mais. O sonho de toda criança é jogar futebol e você ser convocado para seleção brasileira é algo marcante para a vida. O título do Mundial Sub-17 fica na minha mente e quem não tinha me acompanhado ainda, pôde me conhecer. Sinto saudades.”

VEJA TAMBÉM:
+ Escalação ideal para quando o futebol voltar.
+ Santos anuncia novo patrocinador.
+ Enquete: Você é a favor da volta de Ricardo Oliveira.
+ As Principais Notícias do Santos Futebol Clube.
+ Seja Sócio Rei!

O primeiro gol na Libertadores

“Desde o aquecimento estava bem focado e pensei ‘será que quando entrar vou dar o meu melhor?’. E assim que ele (Jesualdo Ferreira) me chamou, só pensei em ajudar minha equipe. Saiu uma jogada lá de trás meio turbulenta, com o Felipe Jonatan tentando sair da marcação, ele me achou e já virei no Soteldo e o Soteldo pequenininho saiu driblando um, dois e a bola sobrou para mim. Aquele momento foi muito rápido e com três toques na bola eu já estava lá na frente. Só que eu pensei muito rápido, senão podia sofrer a falta. Só pensei em comemorar com meus companheiros, estava muito feliz.”

A série DNA, da Santos TV conta histórias de personagens que carregam o Santos no coração e nas veias!

Inscreva-se na Santos TV.